Blog Saúde

Alimentos Cardioprotetores

16/10/2017

Alimentação que colabora com a saúde do coração

Existem alimentos que podemos chamar de cardioprotetores.

Dr. Frederico Nacruth, médico do Hospital Encore dá orientações importantes para a campanha#EncoreResponde e cita alimentos cardioprotetores na prevenção do infarto e AVC.

Todos os alimentos não industrializados, orgânicos, que vêm da terra, são ricos em micronutrientes, ou sejavitaminas e minerais.

ALIMENTOS RICOS EM MICRONUTRIENTES

(possuem o potássio, o magnésio, o cálcio, essenciais para o bom funcionamento do coração)

  • legumes
  • verduras
  • frutas

Segundo Dr. Frederico, esses alimentos apresentam benefícios diretos para a saúde como um todo, mas principalmente para a saúde do coração.

Além deles, temos os macronutrientes, os quais podemos dar destaque aos alimentos antioxidantes. 

ALIMENTOS ANTIOXIDANTES

Por sermos seres aeróbios, dependentes do oxigênio para viver, nosso corpo vai “enferrujar”, especialmente nossas artérias.

Quanto mais oxidação, mais radicais livres nas artérias e mais chances de doenças como a aterosclerose, lesão endotelial, inflamação e formação de placas, e consequente infarto e AVC.

Contra isso, temos os alimentos antioxidantes, que vão atuar nesses radicais livres, retardando a progressão da placa e o envelhecimento das artérias.

Tabela cardioprotetora

– Frutas vermelhas

Ricas em polifenóis e resveratrol (principal polifenol): açaí, blueberry, goji berry, amora, framboesa, pitanga, acerola, morango, uva (casca) e até o vinho tinto (pois é proveniente da uva) .

Obs: Atenção com o morango, pela grande quantidade de agrotóxicos.

 

 

 


– Óleos insaturados, que se dividem em:

Poliinsaturados (ômega 3)

Contido nos peixes de águas profundas/marinhos, como: cavala, salmão, atum, arenque, sardinha. Possui ação antiinflamatória, antiarrítimica, diminui triglicérides, combate o envelhecimento das artérias, ou seja, é um bom aliado do cardiologista.

O ômega 3 pode ser consumido in natura, através da ingestão dos próprios peixes ou através de suplementação – cápsulas (vale ficar atento e procurar por boas marcas do mercado, para que tenham o efeito desejado).


Monoinsaturados (ômega 9, também conhecido como ácido oleico) – contido principalmente nas castanhas, no abacate e azeite extravirgem.

O Azeite de oliva extra virgem, rico em óleo ômega 9, um óleo monoinsaturado merece um destaque especial, pois é considerado um alimento “santo” desde a época antiga, usado como remédio, ungüento e hidratante para a pele.

Mas fique atento, segundo Dr. Frederico, “para preservar suas propriedades, ele precisa ser prensado a frio, não pode ser misturado a outros óleos, não pode ser aquecido numa temperatura acima de 170 graus e é recomendado que seja envasado fora do Brasil, pois aqui ocorrem misturas, por não haver essa especificação de pureza.”


Das castanhas, podemos citar baru, nozes, macadâmia, castanha do Pará, entre outras.

Esses óleos monoinsaturados têm capacidade de reduzir não só os triglicérides, mas o colesterol LDL, por isso são importantes componentes das dietas.

 

 


 

Já o abacate é bastante recomendado pelos cardiologistas porque possui pouca frutose, ou seja, pouco carboidrato e é rico em óleos monoinsaturados, que são cardioprotetores e promovem a sensação de saciedade.

 

 

 

 

 

Faça sua parte, inserindo esses alimentos no seu dia a dia, pois são fundamentais para um coração saudável.

O Hospital Encore conta com equipe de cardiologistas experientes e altamente capacitados.

Além de seguir uma alimentação saudável, faça seu check up periodicamente.

Agende uma consulta (062) 3230-1800

 

Dr Frederico Nacruth

CRM  18931

Médico especialista em cardiologia  Hospital Encore