Blog Saúde

Alerta sobre a gripe H1N1

04/04/2018 - 17:23

Causas, sintomas e tratamentos

Dra. Marina Mascarenhas Roriz Pedrosa, médica infectologista do Hospital Encore

Dra. Marina Mascarenhas Roriz Pedrosa, médica infectologista do Hospital Encore alerta sobre a gripe H1N1.

“32 casos de H1N1 em Goiás neste ano.
10 vezes mais que 2017, alerta secretaria”

O que é

A gripe é causada por um vírus, chamado Influenza, que possui vários subtipos, entre eles, o Influenza A H1N1.

A infecção pelo vírus influenza ocorre durante todo o ano, porém é mais frequente nos meses do outono e inverno.

É uma doença contagiosa, transmitida pelas gotículas de uma pessoa infectada.

Como é contraída e período de incubação

Após ter contato com o vírus, algumas pessoas não apresentarão sintomas, outras podem adoecer num período de 1 a 4 dias.

“Entre as pessoas que adoecem, algumas apresentarão quadros leves, outras graves.”

Uma pessoa infectada transmite o vírus entre 24 e 48 horas antes do início de sintomas, em quantidades mais baixas do que durante o período sintomático.

Por volta do 5º dia de sintomas, ela deixa de transmitir.

As crianças e os pacientes com imunodepressão podem transmitir por mais tempo.

Sintomas

O quadro clínico da influenza tem início abrupto, com sintomas de síndrome gripal, com duração geralmente de até 7 dias como:

  1. febre
  2. dor no corpo
  3. dor de cabeça
  4. dor de garganta
  5. tosse seca
  6. prostração
  7. mal estar

Em alguns casos, principalmente em indivíduos com fatores e/ou condições de risco, pode evoluir para síndrome respiratória aguda grave (SRAG), que requer internação, muitas vezes em UTI.

O principal sinal para identificarmos esse quadro é a intensa falta de ar e o esforço respiratório.

Diagnóstico

O diagnóstico de influenza é clínico, baseado nos sintomas.

A radiografia de tórax e os exames laboratoriais auxiliam no diagnóstico, principalmente para descartar outras causas dos sintomas. A pesquisa viral não é necessária em todos os casos.

Tratamento

O tratamento é baseado em repouso, ingestão de líquidos, medicamentos para os sintomas e em alguns casos, medicamentos específicos (Tamiflu®).

Vacinação

A Campanha Nacional de Vacinação Contra Influenza em Goiás, começará dia 23 abril até o dia 1º de junho.

Na campanha, os primeiros a serem vacinados serão:

  1. indivíduos com 60 anos ou mais de idade
  2. crianças na faixa etária de 6 meses a menores de 5 anos de idade (4 anos, 11 meses e 29 dias)
  3. gestantes
  4. puérperas (até 45 dias após o parto)
  5. trabalhadores da saúde
  6. professores das escolas públicas e privadas
  7. povos indígenas
  8. grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais
  9. adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas
  10. população privada de liberdade e os funcionários do sistema prisional

Medidas para prevenção de disseminação do vírus Influenza (H1N1) no Pronto Socorro do Hospital Encore

Confira a campanha #EncoreResponde com Islayne Oliveira Pedroso, enfermeira do controle de infecção do Hospital Encore, explicando como é feito o controle para evitar a contaminação com pacientes suspeitos ou confirmados com o vírus H1N1, que chegam no Pronto Socorro.

  1. Paciente chega ao Pronto Socorro 24h
  2. Passa pela triagem com a enfermeira, que serve para priorizar os sintomas mais graves, como febre alta, tosse, espirros, mialgia (dor no corpo).
    Pacientes com estes sintomas clássicos, tem prioridade alta. É ofertado máscara e ele é retirado da recepção, para evitar a disseminação das pessoas que estão próximas.
  3. Encaminhado para o médico plantonista para posterior avaliação
  4. Em casos mais graves, o paciente é encaminhado para internação
    O Hospital Encore tem o protocolo interno que é o protocolo de precaução de gotículas, que é adotado tanto nos quartos quanto na UTI.

Uso da Máscara cirúrgica para prevenção na contaminação do H1N1

Confira a campanha #EncoreResponde com Islayne Oliveira Pedroso, enfermeira do controle de infecção do Hospital Encore explicando a qual a máscara indicada pela ANVISA como controle para evitar a contaminação, com pacientes suspeitos ou confirmados com o vírus H1N1 que chegam ao pronto socorro.

A máscara indicada é a máscara comum cirúrgica.

A máscara N95, mais conhecida como “Bico de Pato”, não tem indicação na precaução de gotículas, exceto em caso de intubação.

Uso da máscara cirúrgica é ofertado no Pronto Atendimento do Hospital Encore para:

  1. profissionais de saúde
  2. pacientes que estão aguardando o atendimento
  3. pacientes suspeitos e contaminados, que estão sendo transportados
  4. Acompanhantes dos pacientes citados acima

A importância da avaliação médica contra H1N1

Confira a campanha #EncoreResponde com Islayne Oliveira Pedroso, enfermeira de controle de infecção do Hospital Encore, explicando a importância da avaliação médica, como controle para evitar a contaminação dentro do hospital, com pacientes suspeitos ou confirmados com o vírus H1N1, que chegam no Pronto Socorro 24h.

É muito importante a avaliação médica em relação à casos de suspeita de influenza.

Os sintomas são muito parecidos com outros tipos de doença, como: síndromes gripais e respiratórias ou até mesmo outras doenças.

“É importante a avaliação do médico e avaliação dos exames, diz enfermeira.”

O diagnóstico é basicamente clínico. Portanto esta avaliação se faz necessária para o controle da H1N1.

O Pronto Socorro do Hospital Encore conta com uma infraestrutura ímpar.

Além de um corpo clínico experiente e altamente capacitado para acolhê-lo no momento de uma emergência.

Com um atendimento ágil e de qualidade, possui uma equipe de especialistas pronta para avaliação e intervenção 24 horas por dia, 7 dias por semana.

Tenha sempre em mãos nosso número e endereço para emergências:

Fone: (062) 3230-1800

Endereço: Rua Gurupi, s/n – Vila Brasília, Aparecida de Goiânia – GO, 74930-390